quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Podemos louvar a Yemanjá sem agredir o meio ambiente!

É público e notório que, ao chegarmos ao final de Ano, Yemanjá... o Orixá mais louvado e reverenciado de nosso país, recebe inúmeras oferendas e homenagens nas praias brasileiras.

Crença, fé, agradecimento, bençãos, festa!! Mas, vamos visualizar em nossos pensamentos, a situação em que ficam nossas abençoadas areias e mares depois das oferendas e louvações.

 


Desolador, não??





Se você quer ter uma atitude politicamente correta, preocupa-se com o meio ambiente, com a fauna marinha e quer que seus descendentes possam também prestar homenagens à Yemanjá, leia as orientações da Diretora Cultural da Federação Organização Ycaraí, Alessandra Gomez (Centro Espírita Menina Rosinha):

".....Alfazema e champagne, ok... desde que não se deixe a garrafa, as tampas e o vidro de alfazema. Apesar de também afetarem o meio ambiente, o impacto será menor, entendo que podemos mantê-los como oferendas, para preservar o ritual.

Sugestão: perfumar as flores

Flores: retirar espinhos, pois estes podem machucar as pessoas. Ao voltar para a praia as flores serão lixo, já as que ficarem na água, vão se decompor e transformar-se em matéria orgânica que podem alimentar as algas e plânctons.

Manjares e frutas: primeiro gostaria de perguntar o seguinte: Yemanjá precisa deles? Deixar na beira d'água ou jogar no mar??
As frutas e os manjares retornarão para a praia como a maioria das oferendas e aí se tornarão lixo. Será que Yemanjá não ficaria mais satisfeita se ao invés de colocar isso na água, as frutas e os manjares fossem entregues, em seu nome, às pessoas que não tem o que comer? Será que ofertar a comida de Yemanjá para quem tem fome, não seria uma oferenda mais coerente com o que pregamos, que é a caridade? Ela não ficaria mais satisfeita?

A comida que apodrece na água acaba por virar poluição em todos os sentidos, altera a qualidade da água, aumenta a carga orgânica da mesma, sem contar a poluição visual. Este tipo de comida não é característica dos animais marinhos.
No caso de comidas, acho que vale repensarmos.

Moedas e bijouterias: não são legais, estes materiais vão oxidar e demorarão um tempo enorme para se decompor,além do que alterarão o pH do meio. Isso sem contar que poderão ser ingeridos por animais marinhos, provocando sua morte. Além disso, este material ao retornar para a praia pode ferir alguém.

Esmaltes: Nem pensar, nem mesmo sem o vidro. A tinta é bastante tóxica para o meio ambiente.

Espelhos: Podem machucar as pessoas e animais marinhos, além de que se forem ingeridos podem provocar a morte destes.

Pentes: Opção é usar os de madeira ao invés de plástico. O impacto é menor.

Em nosso grupo espiritual, vamos orientar que as oferendas sejam compostas de flores, alfazema e champagne. Até os pedidos vou orientar para que sejam escritos nas pétalas das flores ou nas folhas ao invés de usar papel. Vamos trabalhar para ficarmos nisso e o impacto será menor.

Infelizmente, nem todos aceitam este tipo de orientação...."

Ser umbandista também é ter consciência ecológica.

Pense nisso!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário